2ª Etapa
Home > Etapas > 2ª Etapa
2ª Etapa / Badajoz - Castelo Branco / 181,5 Km / 6 agosto
Menu
Cidade Partida
Cidade Chegada
Mapa
Percurso
Altimetria
Partida e Chegada
Directo
Media
Comunicados
Galeria
Badajoz

Badajoz é uma cidade e município raiano da Espanha na província homónima, da qual é capital. Faz parte da comunidade autónoma da Estremadura e da comarca da Terra de Badajoz. Tem 1 470 km² de área e em 2021 tinha 150 610 habitantes (densidade: 102,5 hab./km²), que representa aproximadamente 20% da população da província e 7% da Estremadura.[1]

Batizada pelos seus fundadores muçulmanos Batalyaws (em árabe: ﺑﻂﻠﻴﻮﺱ), a sua designação em português vernáculo era Badalhouce até ao período da dinastia filipina,[2] um termo que persiste ainda hoje em galego.[3] Além de ser a maior cidade da Estremadura, é também o principal centro económico da região. Situa-se a um par de quilómetros da fronteira com a cidade portuguesa de Elvas, à beira do rio Guadiana, um dos rios mais importantes da Península Ibérica, que atravessa a cidade de leste para oeste, virando em seguida para sul. Apesar da dimensão do município ser bastante menor do que no passado, Badajoz é o terceiro maior município de Espanha em área, a seguir a Cáceres e Lorca. Tem 10 núcleos populacionais, dentre os quais se destacam, além da cidade, Gévora, Valdebótoa e Villafranco del Guadiana, todos com mais de mil habitantes.

A cidade foi fundada em 892 por Ibne Maruane,[a] durante a ocupação muçulmana da Península Ibérica, num local habitado desde os tempos pré-históricos mais remotos e sobre um povoado visigodo já então desaparecido ou pelo menos muito degradado, no cimo de uma das duas colinas que dominam a cidade: o Cabeço da Muela ou o Cabeço do Montúrio. Em frente, na margem direita do Guadiana, situam-se as Cuestas (encostas) de Orinaza ou Cerro de San Cristóbal, também conhecidas antigamente como Baxernal ou Baxarnal. A fundação da cidade é comemorada pelos seus habitantes, denominados pacenses,[b] na festa Almossasa Batalyaws, realizada em finais de setembro.

A parte mais antiga da cidade é chamada Casco Antigo ou bairro histórico. Aí se encontram vários edifícios classificados como "Bem de Interesse Cultural", nomeadamente a catedral, a alcáçova, as muralhas de estilo Vauban, a Igreja de São Domingos e o Real Mosteiro de Santa Ana.[5] Na década de 2000, a Praça Alta (Plaza Alta) e a Praça de Espanha, dois dos locais mais emblemáticos de Badajoz, foram restauradas em larga escala. A última é onde se encontra o ayuntamiento, a catedral, o Arquivo Histórico Municipal, o Museu Catedralício, a Casa del Cordón e a Casa Buiza. Outra praça importante em termos de património é a da Soledad, onde se encontram edifícios como a La Giralda, Las Tres Campanas e o Conservatório de Música. A quarta praça monumental da cidade é a de San Andrés, onde se situam a igreja homónima, o Hotel Cervantes a Casa Regionalista e a Casa Puebla. A cidade dispõe de vários parques e jardins.

Castelo Branco

Cidade de luz, de património e tradições enraizadas, Castelo Branco é rica em Natureza, Sabor e Cultura. Com um património de incalculável valor, esta cidade com 250 de história, dispõe de uma grande diversidade de atrações e atividades que podem ser visitadas e apreciadas por toda a família.

As 10 rotas turísticas de Castelo Branco convidam-no a conhecer espaços onde a tradição e o património local se conjugam, permitindo usufruir de uma oferta diversificada com experiências em todo o concelho.

Do exemplar único e original do Barroco em Portugal, o Jardim do Paço Episcopal, passando pelo Castelo dos Templários e pelos Portados Quinhentistas, na zona histórica, e viajando na vasta rede museológica espalhada pelo concelho, terá acesso a uma grande variedade de narrativas temáticas, que refletem a identidade e colocam a descoberto todo Património Histórico e Cultural desta região.

Castelo Branco tem uma longa história de artes e ofícios, dando protagonismo aos artífices e às artes que, para além de caracterizarem a região, foram e continuam a ser parte fundamental do processo de regeneração deste território. Exemplo disso é o Bordado de Castelo Branco com reconhecimento que ultrapassa fronteiras, sendo o maior testemunho da história da cidade, a Viola Beiroa originária da Beira Baixa, a arte da cantaria, nomeadamente granito, e toda a atividade industrial dos têxteis, muito enraizada no concelho.

Viajar pelo concelho de Castelo Branco é também passear num museu a céu aberto, através de diversas intervenções artísticas que originaram belíssimos murais em locais esquecidos.

No interior de Portugal, o concelho de Castelo Branco tem condições magníficas para quem procura novas experiências e vivências associadas a atividades ao ar livre, destaque para todo o património natural existente neste território, com uma biodiversidade de incalculável valor. Com o Parque Natural do Tejo Internacional a sul e a Serra da Gardunha a norte, usufrua das praias fluviais do concelho e desfrute de passeios de barco pelo rio Tejo. Para os apreciadores de emoções fortes poderá também viajar pelos céus da Beira Baixa através de voos de Asa Delta, Paramotor e Parapente, ou experienciar uma corrida de karts no Kartódromo inserido no Parque de Desportos Motorizados.

Destaque ainda para uma vasta rede de percursos pedestres, rotas de Birdwatching e para os dois centros BTT, onde poderá entrar num mundo de experiências adequadas a qualquer nível de resistência. Para momentos de descontração sem sair da cidade, a Piscina-Praia revela-se um verdadeiro oásis. Poderá ainda visitar e desfrutar do Parque do Barrocal onde, para além de uma paisagem geológica fascinante, encontrará diversos mirantes e atrações naturais.

O paladar é também enriquecido por sabores tradicionais da região, que merecem ser provados nos vários certames dinamizados pelo concelho, onde se destacam os produtos e os pratos típicos da região, com caráter único e com qualidade reconhecida. Os Sabores de Perdição, o maior certame do concelho, promove e divulga os produtos endógenos, como o Queijo, o Mel, o Vinho e o Azeite da Beira Baixa, reconhecido como um produto DOP - Denominação de Origem Protegida, um azeite delicado e de qualidade superior, produto de excelência e com grande importância no concelho. Através da Rota do Azeite poderá visitar os lagares distribuídos pelo concelho, provar azeites diferenciados e descobrir produtos derivados e complementares a este produto endógeno.

Mapa
Percurso
Alt. Percurso / Parcours
» Km Km » 37 km/h 39 km/h
Concentração/Rassemblement: Badajoz Plaza de la Libertad - Av. de Huelva
POR 10:25 ESP 11:25 POR 10:25 ESP 11:25
Partida Simbólica / Départ Fictif: Badajoz Plaza de la Libertad 6 POR 12:25 ESP 13:25 POR 12:25 ESP 13:25
Plaza de la Libertad, Av. Santiago Ramón y Cajal, Plaza de los Reys Catolicos á esq.ª (sentido prohibido p/ Puerta de Palmas), em frente p/ Puente de Palmas, Rot.ª em frente p/ Av. Carolina Coronado, Rot.ª à esq.ª p/ Carmelo Vera Domenech, Rot.ª à dt.ª p/ C. Gurugú, à esq.ª p/ Carretera Campomayor, Rot.ª (A5) em frente p/ Campo Maior - BA-020, Rot.ª em frente p/ Campo Maior - BA-020, Rot.ª (Plataforma Logistica Del Suroeste Europeu) em frente p/ Campo Maior - BA-020
194 Partida Real / Départ Réel: Carretera de Campo Maior Plataforma Logistica Del Suroeste Europeu (200m após rotunda)
0 181.5 12:45 12:45
210 Fronteira do Retiro N371 4 177.5 12:51 12:51
214 À dt.ª p/ Campo Maior - Estrada da Figueira 9.2 172.3 12:59 12:59
278 Rot.ª em frente p/ Av. Combatentes da Grande Guerra
13.9 167.6 13:07 13:06
283 Em frente p/ Av. da Liberdade
14.2 167.3 13:08 13:06
283 Meta Volante - Campo Maior
14.3 167.2 13:08 13:07
283 Pela esq.ª p/ Av. da Liberdade 14.4 167.1 13:08 13:07
279 Em frente p/ Av. Gen. Humberto Delgado
14.5 167 13:08 13:07
276 Rot.ª à dt.ª p/ Arronches N371
14.8 166.7 13:09 13:07
273 Degolados (Placa) N371 21.1 160.4 13:19 13:17
287 Arronches (Placa) N371 36.5 145 13:44 13:41
270 À esq.ª p/ Centro - Rua Ladeira da Quinta
37.2 144.3 13:45 13:42
283 Pela esq.ª p/ Largo Serpa Pinto 37.4 144.1 13:45 13:42
286 Em frente p/ Rua 1º de Maio
37.5 144 13:45 13:42
281 Bombeiros - Em frente p/ Rua Mov. das Forças Armadas
37.8 143.7 13:46 13:43
270 À dt.ª p/ Rua Dr. Edmundo Curvelo 38.1 143.4 13:46 13:43
277 À esq.ª p/ Rua Prof. Dr. Egas Moniz
38.3 143.2 13:47 13:43
262 Ponte s/ Rio Caima
38.7 142.8 13:47 13:44
280 Rot.ª à esq.ª p/ Elvas R246
39.2 142.3 13:48 13:45
281 À dt.ª p/ Monforte M515 39.8 141.7 13:49 13:46
334 Passagem de Nivel (Estação de Arronches) 44.1 137.4 13:56 13:52
275 Monforte (Placa) - Rua Dr. João Rosado Correia 54.1 127.4 14:12 14:08
290 À dt.ª p/ Portalegre - Rua José Mario R. N. Cartaxo 54.8 126.7 14:13 14:09
248 À dtª p/ Portalegre IP2 55.8 125.7 14:15 14:10
377 Separadores à dt.ª p/ Portalegre
80.6 100.9 14:55 14:49
379 Rot.ª (Hipermercados) à esq.ª p/ Centro
80.9 100.6 14:56 14:49
380 Rot.ª em frente p/ Centro - Av. da Extremadura Espanhola
81 100.5 14:56 14:49
397 Rot.ª em frente p/ Centro - Av. da Extremadura Espanhola
81.3 100.2 14:56 14:50
450 Rot.ª em frente p/ Av. da Liberdade
83.3 98.2 15:00 14:53
456 Meta Volante - Portalegre
83.5 98 15:00 14:53
460 Rot.º em frente p/ Av. do Bonfim
83.8 97.7 15:00 14:53
470 Rot.ª em frente p/ Av. do Bonfim
84.2 97.3 15:01 14:54
485 Rot.ª à dt.ª p/ Marvão N359
85.3 96.2 15:03 14:56
463 Monte Paleiros Início subida / Début col 87.2 94.3 15:06 14:59
680 PM 3ª cat / Col 3ème cat - Monte Paleiros 91.1 90.4 15:12 15:05
520 S. Salvador da Aramenha - À esq.ª p/ Castelo de Vide N246-1
97.8 83.7 15:23 15:15
590 Castelo de Vide - Rot.ª em frente p/ Centro
103.8 77.7 15:33 15:24
575 À esq.ª p/ Alpalhão - Rua Alexandre Herculano
105 76.5 15:35 15:26
518 Rot.ª em frente p/ Alpalhão N246-1
106 75.5 15:36 15:28
468 Separadores em frente p/ Alpalhão N246
108.1 73.4 15:40 15:31
320 Alpalhão - Stop à esq.ª p/ Crato - Nisa
121 60.5 16:01 15:51
323 À dt.ª p/ Portalegre - Rua de S. João 121.4 60.1 16:01 15:51
327 Rot.ª à dta. p/ Nisa N18
121.8 59.7 16:02 15:52
305 Nisa - Rot.ª em frente p/ Castelo Branco N18
133.5 48 16:21 16:10
134 Ponte s/ Ribeira de Nisa N18 Início subida / Début col
140.7 40.8 16:33 16:21
325 PM 3ª cat / Col 3ème cat - Serra de S. Miguel 145.5 36 16:40 16:28
78 Vila Velha de Rodão - Ponte s/ Rio Tejo N18
150.2 31.3 16:48 16:36
90 Meta Volante - Vila Velha de Rodão
151.7 29.8 16:51 16:38
94 Rotª em frente p/ Castelo Branco N18
152.1 29.4 16:51 16:39
105 Coxerro Início subida / Début col 154.7 26.8 16:55 16:43
341 À dt.ª p/ Cebolais - Castelo Branco N3 164.7 16.8 17:12 16:58
365 Rot.ª em frente p/ Castelo Branco N3
166.3 15.2 17:14 17:00
421 PM 3ª cat / Col 3ème cat - Retaxo 168.3 13.2 17:17 17:03
386 Rot.ª à esq.ª e Rot.ª à dt.ª p/ Castelo Branco N3
170.8 10.7 17:21 17:07
382 Rot.ª à dt.ª p/ Castelo Branco Este - Variante Sul
174.2 7.3 17:27 17:13
331 Rot.ª em frente p/ Castelo Branco Este - Variante Sul
177.6 3.9 17:33 17:18
358 À esq.ª p/ Castelo Branco - Bairro da Carapalha N18-8
179.2 2.3 17:35 17:20
375 Rot.ª em frente p/ Av. da Carapalha
179.8 1.7 17:36 17:21
385 Rot.ª em frente p/ Av. da Carapalha
180.2 1.3 17:37 17:22
390 Rot.ª à esq.ª p/ Av. da Carapalha
180.4 1.1 17:37 17:22
404 Rot.ª em frente - Ponte s/ Linha Férrea
180.7 0.8 17:38 17:23
401 Rot.ª à esq.ª p/ Rua Poeta João Roiz
180.9 0.6 17:38 17:23
404 Rot.ª à dta. p/ Av. Nuno Álvares
181.2 0.3 17:38 17:23
410 Meta Final / Arrivée: Castelo Branco - Av. Nuno Álvares
181.5 0 17:39 17:24
Altimetria
Partida
Chegada
Actualizar
2ª ETAPA 82ª VOLTA PORTUGAL CONTINENTE

João Matias (Tavfer - Mortágua - Ovos Matinados) venceu no empedrado da Avenida Nuno Álvares, no centro da capital da Beira Baixa, Castelo Branco. Rafael Reis mantém liderança.

João Matias vence em Castelo Branco

As palavras de João Matias à RTP depois de vencer a 2ª Etapa da 83ª Volta a Portugal Continente.

Galeria